Busca rápidaX

MANCHETES

Derrame, nome popular para AVEi, é a 2ª doença que mais mata no mundo

29 de junho de 2022
Prof. neurologista Roger Zanandréa e acadêmico de medicina Gustavo Ribeiro

O curso de Medicina da Unijuí, através dos acadêmicos, realiza projeto em Unidade Integradora sobre desmistificação de um AVEi (acidente vascular encefálico isquêmico). Em entrevista à RPI, o estudante Gustavo Ribeiro Pedroso, e o professor e neurologista Roger Zanadréa, falaram sobre a epidemiologia, sinais e sintomas, e instruções em como proceder.

“Tivemos essa iniciativa através da disciplina que traz discussões sobre casos clínicos. Juntamente com a Dr Rafaela Picolli, notamos que o popular conhecido derrame é a segunda maior causa de mortes no mundo, tendo em 2015 mais de 6,2 milhões de óbitos”, explicou Gustavo. “Nosso propósito é discutir com a comunidade acadêmica e também a sociedade, e também fizemos a distribuição de panfletos no Instituto do Coração (do HCI).”

“É uma doença muito prevalente, acontece por hemorragia (sangramento) ou isquemia (entupimento de artéria), não chegando mais oxigênio ao cérebro. É a doença que mais incapacita, isso tem um custo muito alto pra sociedade, pro paciente e pra família” destacou o professor. 

Muitos pacientes não percebem esses sintomas ou não dão tanta importância no início por serem sintomas leves. Quando procurado atendimento logo, existem procedimentos a serem feitos que diminuem sequelas. 

Principais sintomas: Perda da força de um lado do corpo, dificuldade para falar, desvio labial. “Se a pessoa perceber esses sintomas e procurar logo um atendimento, em até 4 horas e meia do início desses sintomas uma medicação endovenosa consegue desmanchar esse coágulo, isso reduz muito as sequelas a longo prazo e melhora a funcionalidade do paciente” conforme explicação do neurologista. 

No HCI, em torno de 20 a 30 pacientes são atendidos por mês. “Todo dia tem um paciente com AVC mas muitos não vão procurar o atendimento ou esperam muito tempo”, disse Roger. No brasil, são em média 100 mil mortes por ano.

Para finalizar, o acadêmico Gustavo deixa a seguinte mensagem sobre a temática:

S de sorrir.
A de abraçar.
M de cantar uma música.
U de urgência nos casos dos sintomas anteriores não estarem coerentes.

192 SAMU.

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!