Busca rápidaX


IMEAB desenvolve projeto que calcula o descarte de sacolas plásticas em Ijuí

28 de novembro de 2023
Foto: Prefeitura de Ijuí

Em tempos de crise climática, repensar a pauta da sustentabilidade e abordá-la quando oportuno, é mais do que necessário. Reciclar e reutilizar são opções viáveis, especialmente quando podem ser desenvolvidas dentro das escolas, um dos locais mais importantes para a formação do ser humano.

Foi pensando nisso que professores e alunos do Instituto Municipal de Ensino Assis Brasil (IMEAB) desenvolveram o projeto “Reduzindo o impacto ambiental das sacolas plásticas: compromisso com a sustentabilidade”, que visa promover a compreensão sobre os impactos negativos das sacolas plásticas no meio ambiente, e a conscientização da adoção de práticas mais sustentáveis. Coordenado pela professora de Ciências, Zeni Portella, e realizado pelas turmas de sétimos anos, a pesquisa contemplou os trâmites de uma iniciação científica.

Inicialmente, cinco alunas voluntárias realizaram, sob coordenação da docente, pesquisas bibliográficas que contemplam temas que permeiam a sustentabilidade, além da coleta de dados estatísticos sobre a produção, consumo e descarte de sacolas plásticas. A relevância já se mostra nos primeiros pontos: das 26 capitais brasileiras, apenas Boa Vista, em Rondônia, e Porto Velho, em Roraima não adotaram normas que restringem ou proíbem a distribuição de sacolas plásticas em estabelecimentos comerciais.

De acordo com as voluntárias, sacolas plásticas levam, em média, 400 anos para se decompor totalmente. No mundo, são descartadas um bilhão e 500 mil exemplares por dia, e estima-se que o plástico seja responsável pela morte de 100 mil animais marinhos a cada ano.

Orientadas pela amplitude dos dados, as discentes também contaram com o auxílio da professora de matemática da escola. A última etapa da pesquisa contemplou um levantamento – considerado a parte mais significativa.

“Durante quinze dias, os alunos contaram cada sacola plástica de tamanho normal que entrou e saiu de suas casas. Quando recebi todos os números, fiz uma média de todas as turmas e pedi ajuda à professora de matemática”, conta Portella.

Nas aulas de matemática, os dados obtidos foram organizados em tabelas, e os números de sacolas também foram calculados em proporção a uma semana, um mês e um ano. Das famílias, também contaram as proporções em turma, e posteriormente, em nível municipal. Anualmente, 24.934.624 sacolas são descartadas, em média, pela comunidade ijuiense.

Entretanto, os dados de uso e descarte ainda não pareciam tão impactantes. Assim, a professora de matemática sugeriu utilizar as medidas de um campo de futebol para que os números pudessem, de fato, conscientizar a população. Entre as linhas dos cadernos, mais um cálculo entrou para a lista do projeto.

Uma sacola plástica de tamanho comum possui, em média, 33 centímetros de altura por 21 centímetros de largura, e ocupa uma área de 0,0693 m². Proporcionalmente, um metro quadrado contempla até 12,5 exemplares, e, em um ano, Ijuí descarta o equivalente a 2.772 campos de futebol em sacolas plásticas, abertas na superfície. Como ressalta a professora, “os números não são exatos, mas servem de parâmetro para que possamos adotar novas práticas cotidianas”.

Paralelo à conclusão do projeto, o corpo docente da disciplina de artes do IMEAB, também se envolveu na pesquisa. Sob orientação dos mesmos, os alunos personalizaram suas próprias ecobags, que podem substituir as sacolas plásticas na hora de fazer compras em supermercados, lojas, e outros afazeres.

Para as alunas Alice Boff Grenzel, Sara Ratzlaff, Isabella Dalla Corte, Ana Clara Mazui Ost e Julia Michael, voluntárias do projeto que estiveram presentes na entrevista, a experiência foi significativa, principalmente pelo potencial que pode representar em nível municipal – na última semana, a iniciativa foi apresentada ao Prefeito e às Secretarias de Educação e do Meio-Ambiente.

No próximo ano, professores e alunos se preparam para dar continuação à pesquisa, e levá-la à comunidade .