Busca rápidaX

MANCHETES

Pai de Santo é acusado de abuso sexual, em Ijuí

6 de julho de 2022

Um pai de santo de Ijuí é investigado por suspeita de ter abusado sexualmente de uma jovem de 19 anos, durante rituais religiosos. Ela registrou Boletim de Ocorrência na Polícia Civil e afirma ter conhecimento de mais vítimas, que não fizeram denúncia dos abusos. O Delegado titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), Antônio Matter Soares, se restringiu a informar que há “fatos inicialmente sendo apurados”, mas não pode fornecer mais informações. 

A jovem afirma ter conhecido o Pai de Santo em fevereiro, quando passou a frequentar a casa religiosa e que o episódio de abuso aconteceu uma única vez, quando ela o teria procurado para “trabalhos espirituais relacionados à vida amorosa”. O acusado orientou que ela vestisse uma lingerie e alternasse posições sexuais, enquanto ele ficaria perfumando seu corpo. “Para dar mais confiança, ele disse que já tinha feito com outras filhas de religião”, disse.

Ainda de acordo com a vítima, durante o suposto “trabalho espiritual”, o líder religioso a tocou nas partes íntimas. “Eu pedi pra ele um trabalho espiritual pra minha vida amorosa, com pouco conhecimento da religião acabei aceitando, achando que era o certo, pois ele como pai de santo a gente acaba confiando de olhos fechados”.

A jovem percebeu que a abordagem do Pai de Santo estava excessiva e procurou a polícia. “Estou me sentindo aliviada e tranquila”, disse ela em relação à investigação iniciada pela autoridade policial. 

A reportagem da Rádio Progresso entrou em contato com líderes religiosos para saber mais sobre a abordagem do investigado. Todos foram categóricos em afirmar que a partir do momento em que solicitação para que a vítima ficasse somente com roupas íntimas, e houve toque, o limite imposto pela religião já foi infringido.

“As vezes é necessário trabalhos que a pessoa precisa precisa tirar uma peça de roupa ou toda a roupa que é nos casos de banhos, porém, ela faz isso de forma íntima, o pai de santo não participa desse momento”, disse um deles, que complementou que “é dever de um líder religioso preservar a integridade dos filhos e das pessoas que o procuram em busca de solucionar os seus problemas”. Ainda de acordo com o líder, “se isso realmente aconteceu, essa pessoa é um charlatão aproveitador”.

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!