Busca rápidaX

Os agricultores brasileiros estão cientes do potencial das imagens de satélite

8 de junho de 2022

Nas últimas décadas, o Brasil se tornou um dos principais países agrícolas, sendo o principal exportador de soja, milho, açúcar, carne, café e etanol. Isto é devido à demanda mundial de alimentos, assim como seus preços competitivos e a introdução da tecnologia mais inovadora. Apesar das recessões econômicas nacionais e internacionais dos últimos anos, o país foi capaz de expandir o setor da agricultura e se tornar em um dos exportadores de produtos agrícolas mais importantes do mercado global. Apoiado por suas políticas macroeconômicas, o Brasil tornou-se em um dos exportadores agrícolas mais competitivos do mundo. De fato, o Brasil, junto com os EAU, é o maior exportador de soja do mundo devido ao aumento de disponibilidade de grandes extensões de terreno, nas áreas de savana e nas regiões do interior do país. Outro cultivo para o qual tem se destinado grandes áreas de cultivo é a cana-de-açúcar, principal matéria prima para a produção do etanol.

Imagens de satélite na agricultura brasileira

Outro ponto chave para seu sucesso no mercado agrícola é a transformação de um sistema tradicional ao grande líder agrícola mundial graças ao investimento na ciência e na tecnologia agrícola, como as imagens de satélite. Esta tecnologia era frequente no sul e sudeste do país. Contudo, nos últimos 3 anos, muitas companhias tecnológicas têm expandido o uso destas imagens a todos os participantes do mercado agrícola. Graças ao uso destas imagens, podem-se obter índices de vegetação, parâmetros importantes de análise de desenvolvimento de culturas.

Criação de Zonas de Gestão utilizando índices de vegetação

É o caso do índice de vegetação por diferença normalizada (NDVI), índice altamente usado na agricultura por sensoriamento remoto. O NDVI é um indicador simples de biomassa fotossinteticamente ativa ou, em outros termos, um cálculo da saúde da vegetação. Em outras palavras, o NDVI é uma medida do estado de saúde das plantas com base em como a planta reflete a luz em determinadas frequências (algumas ondas são absorvidas e outras são refletidas). Desta maneira, é frequentemente usado para monitorar a seca, prever a produção agrícola, assim como auxiliar na previsão de zonas de incêndio e mapas ofensivos do deserto. Assim, a fórmula para conhecer a densidade da vegetação (NDVI) em um determinado ponto da imagem é igual à diferença nas intensidades da luz refletida na faixa vermelha e infravermelha dividida pela soma dessas intensidades. Este índice define valores de -1 a 1. Os valores baixos correspondem às áreas vazias de rochas, areia e neve, enquanto os valores altos representam florestas. Assim, os agricultores podem saber quais partes de seus campos têm vegetação densa, moderada ou escassa a qualquer momento.

Este índice, junto com outros cruciais para analisar os cultivos, estão disponíveis na plataforma EOS Crop Monitoring. É uma plataforma online de agricultura de precisão baseada em satélite para o monitoramento de campo em tempo quase real, criada pela EOS Data Analytics (EOSDA), fornecedor global de análise de imagens de satélite alimentado pela IA. Esta plataforma é uma solução que integra múltiplos tipos de dados (saúde das culturas, condições meteorológicas, rotação de culturas, atividades de campo, elevação, umidade do solo e uma série de outros tipos) tudo num só lugar.

Então, é uma ferramenta perfeita para rastrear a saúde dos cultivos no campo com a ajuda do NDVI medido em tempo real. Assim, pode se detectar de maneira oportuna alterações nos cultivos e obter atualizações constantes do estado das culturas. Além disso, EOS Crop Monitoring traça mudanças no NDVI para campos individuais ao longo das estações. Desta maneira, pode obter um histórico a mais de 5 anos. Baseada no cálculo NDVI, pode se identificar zonas de alta produtividade, assim como conhecer os pontos fracos no terreno que requerem um tratamento especial. Por outro lado, melhora a exploração de campos utilizando NDVI para encontrar áreas problemáticas no campo e enviar os batedores diretamente para a localização exata. Assim, permite aos agricultores conhecer as alterações anormais do NDVI prontamente, o que acelera o processo de tomada de decisão, traduzindo-se num melhor uso de recursos e custos, assim como poupar tempo e aumentar o rendimento.

As imagens de satélite são apenas um exemplo das últimas ferramentas agrotecnológicas que estão ajudando os produtores brasileiros a facilitar a tomada de decisões, e no processo, ajudando a evolução da agricultura. O setor agrícola brasileiro foi transformado de um sistema tradicional de produção (com baixo uso de tecnologias modernas) para um líder agrícola mundial. Os investimentos brasileiros em ciência e tecnologia têm sido cruciais para que o país possa descobrir seu potencial agrícola e aumentar a produção agrícola.

error: Conteúdo protegido!