Busca rápidaX

Entreposto da Zona Franca de Manaus, em São Borja, deverá alavancar desenvolvimento econômico e social

28 de junho de 2024

A expectativa é que a implantação de um entreposto da Zona Franca de Manaus, em São Borja, gere desenvolvimento econômico e social. Durante entrevista hoje pela manhã na RPI, o prefeito de São Borja, Eduardo Bonoto, disse que a tendência é de geração de aproximadamente 500 empregos, com investimento de cerca de 50 milhões de reais.

A empresa Ponta Negra Logística venceu a licitação e vai construir a estrutura do entreposto, numa área de dois hectares, repassado pelo município. O local fica situado na plataforma logística, próximo ao trevo de acesso à ponte internacional da integração sobre o rio Uruguai, fronteira com o município de Santo Tomé, na Argentina.

Haverá edificação de armazéns para abrigar produtos produzidos na Zona França de Manaus, por exemplo, eletrodomésticos, como aparelhos televisores, de ar condicionado ou climatizadores, de som, além de computadores, bicicletas, motocicletas, celulares, relógios, dentre outros.

De São Borja, essas mercadorias serão levadas para vários locais da região e do Estado, além de países do Mercosul, como Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile e outros, para serem comercializados por lojas e demais empresas. Eduardo Bonoto explicou que no entreposto não haverá comercialização de mercadorias, apenas vai ser local para receber produtos da Zona Franca e repassar adiante.

Num período de quatro meses, a Ponta Negra Logística deverá ter concluído a construção do primeiro armazém, com 20 mil metros quadrados, a fim de abrigar mercadorias. Na mesma entrevista hoje na Progresso, o prefeito de São Borja adiantou que existe possibilidade de que no entreposto ocorra finalização de pequenos processos na produção das mercadorias, por exemplo, tomadas de eletrodomésticos para interruptores para países do Mercosul, que são diferentes das estruturas brasileiras.

Também há tendência de montagem de alguns produtos. Com o entreposto de São Borja, outra perspectiva é que os produtos da Zona Franca de Manaus possam ficar mais baratos para comercialização na região e Estado, até porque as empresas de logística e outras terão redução em custos de transporte, além de mais agilidade para chegar aos consumidores.

A Zona Franca tem cerca de 650 indústrias, que poderão mandar mercadorias para São Borja. Com isso, São Borja vai ser o quinto município brasileiro com um entreposto da Zona Franca de Manaus. O prefeito Bonoto também comentou na RPI que nesta manhã recebeu telefonema do governo federal, com a confirmação da liberação de dinheiro para licitação a fim realizar reforma na pista do aeroporto de São Borja, até porque deverá ocorrer aumento de voos no município em razão do transporte de mercadorias da Zona Franca de Manaus.

Na última segunda-feira, o governador do Amazonas, Wilson Lima, esteve em São Borja, para assinatura do contrato a fim de instalar o entreposto da Zona Franca. Na mesma entrevista, Bonoto observou que recentemente o grupo Malmann, de Ijuí, implantou nas imediações de onde vai ter a Zona Franca, uma estrutura de posto de combustíveis. Também nas imediações, a empresa ijuiense de transportes Letsara efetua construção de obra.

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí