Busca rápidaX

MANCHETES

Órgãos alertam para desinformação e governos fazem força-tarefa contra fake news

7 de maio de 2024

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) alerta para o fato de que não está bloqueando o trânsito de veículos com doações em decorrência de ausência de nota fiscal. Além disso, a instituição policial reforça também que não estão sendo recolhidos reboques com motos aquáticas por falta de habilitação do proprietário, tratando-se de fake news. “A Polícia Rodoviária Federal está trabalhando incansavelmente para garantir a rapidez nas entregas das doações pelos atingidos pelas chuvas no Rio Grande do Sul”, ressalta um alerta emitido.

Além disso, a Defesa Civil informou que não está realizando busca ativa de doações no Estado. Desta forma, desconfie se alguém se passar por membro da Defesa Civil do Estado e pedindo para entrar na sua residência para buscar donativos. Toda e qualquer doação precisa ser feita diretamente pelos interessados nos pontos de arrecadação espalhados pelos municípios gaúchos.
A disseminação de fake news motivou uma força-tarefa dos governos. As informações são identificadas, monitoradas e apuradas por uma equipe de comunicação. Quando a checagem é concluída, os conteúdos são disponibilizados para grupos com a imprensa e nos perfis oficiais do governo nas redes sociais.
Além disso, foi estabelecido um canal direto com a Meta, empresa responsável pelo Instagram, Facebook e WhatsApp, para avaliar e denunciar perfis que atuam na criação e amplificação de conteúdos falsos ou descontextualizados. A parceria tem como foco auxiliar no controle de publicações com dados incorretos que circulam desde o início das enchentes no Rio Grande do Sul.

Entre as dicas para evitar cair em notícias falsas: fique atento a manchetes sensacionalistas, linguagem alarmista e imagens chocantes; verifique a fonte da informação. Notícias falsas geralmente são publicadas em sites ou perfis não confiáveis, com erros de ortografia e gramática, e sem identificação clara da autoria; consulte outras fontes confiáveis para confirmar a veracidade da informação. Sites de notícias renomados, órgãos governamentais e instituições de pesquisa podem ser boas fontes; se você tem dúvida sobre a veracidade do conteúdo, não compartilhe.

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí