Busca rápidaX

Perícia revela que ijuiense encontrado morto em geladeira em Aracaju sofreu queda fatal

18 de dezembro de 2023
Corpo de Celso Adão Portella, teria aproximadamente 80 anos, foi encontrado dentro de uma mala (Fotos: Reprodução)

A causa da morte do ijuiense Celso Adão Portella, encontrado dentro de uma geladeira durante uma ordem de despejo em Aracaju, capital de Sergipe, em setembro deste ano, foi uma queda, conforme revelado hoje pela manhã pela secretaria de Segurança Pública sergipana.

Segundo o Instituto Médico Legal, foi detectado uma fissura na parte frontal do crânio, o que indica traumatismo craniano prévio à morte. A incisão, considerada pequena, não teria sido causada por instrumento contundente, por isso sugere uma possível queda. A perícia, no entanto, não determinou se a queda foi espontânea ou se resultou de uma ação externa, o que deixa em aberto a possibilidade de homicídio.

A companheira de Celso, uma técnica de enfermagem, foi presa por ocultação de cadáver e maus-tratos contra a própria filha, que morava no mesmo imóvel onde o corpo foi encontrado. Em depoimento, ela alegou que Celso teria morrido em 2016 e negou envolvimento no óbito. A mulher está internada e vai ser reavaliada no próximo mês.

O apartamento sujo, em condições insalubres, levou à remoção da criança, que está sob acompanhamento do Conselho Tutelar. Celso Adão Portella, que atualmente teria 80 anos, é natural de Ijuí, mas construiu a vida em Porto Alegre. Ele deixou o Estado em 2001, quando a mãe morreu, foi para o Espírito Santo e, depois os irmãos perderam contato. Celso é um de 12 irmãos e deixou quatro filhos no Rio Grande do Sul. Os restos mortais de Celso Adão Portella estavam numa mala de viagem, dentre de uma geladeira. Em Porto Alegre, Portella atuou na carreira de jornalista.

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí e Gaúcha ZH