Busca rápidaX

MANCHETES

Progresso Rural: Novo presidente da Aprosoja valoriza bom preço da oleaginosa, mas alerta para altos custos de produção

16 de maio de 2022

Mesmo com nova diretoria, o foco de trabalho da Associação dos Produtores de Soja do Rio Grande do Sul segue a linha já em desenvolvimento. Segundo o novo presidente da Aprosoja, Carlos Alberto Fauth (foto), que é agricultor e agrônomo em Passo Fundo, uma das preocupações é com os reflexos da estiagem que praticamente dizimou a soja nesta última safra. Citou a região Noroeste como uma das mais atingidas pela seca.

Destacou que pela natureza, os trâmites sobre seguro agrícola e Proagro são lentos, porém, no momento há muita reclamação de agricultores sobre demora que ocorreu ou ainda existe em vistoria de lavouras de soja para liberação de recursos dessas medidas. Carlos Alberto Fauth defende que o governo federal libere novas normas para renegociação de débitos dos produtores. Ele aproveita para observar que o preço da saca de soja paga para o agricultor deve se manter num patamar como o atual, ou seja, cerca de 180 reais. Na região de Ijuí, hoje a cotação média é de 184,02 reais. No entanto, o presidente da Aprosoja se queixou do alto custo de produção, o que reduz os ganhos dos produtores e encarece as safras, por exemplo, plantio do trigo, aveia e outras culturas do momento.

Ontem pela manhã, Carlos Alberto Fauth falou sobre esses temas numa entrevista no programa Progresso Rural da RPI. Ele ainda abordou sobre venda futura de soja que, segundo ele, na região Sul do Brasil fica entre 15 e 20%. Fauth destaca que se o agricultor estiver capitalizado não existem muitos motivos para comercializar soja antecipada. Geralmente essa medida é adotada para custear o plantio da cultura. Hoje, as 22 horas, o Progresso Rural vai ser reproduzido no programa Companhia da Noite da RPI. Abaixo, confira o Progresso Rural de ontem.

Fonte: Radio Progresso de Ijuí
error: Conteúdo protegido!