Busca rápidaX

MANCHETES

Após aumento de casos de dengue no interior de Ajuricaba, Vigilância Ambiental organiza mutirões na área rural

20 de junho de 2024

O excesso de chuva associado aos inúmeros depósitos que servem de criadouros para o mosquito transmissor da dengue foram os principais fatores que motivaram o aumento significativo de casos em Ajuricaba, conforme relatou à nossa reportagem a coordenadora Técnica do Serviço de Vigilância em Saúde do município, Anelise Schneider.

Segundo ela, em 2024 foram 196 notificações, dessas, 75 resultaram positivas, 91 foram descartadas e 31 casos seguem em investigação. Ajuricaba não registra nenhum óbito pela doença neste ano, mas segundo Anelise, houve um grande reflexo nas internações no Hospital do município, principalmente idosos acima de 60 anos.

Outro fator que chamou atenção, segundo Anelise, é a grande incidência de casos registrados no interior do município. Após avaliação da Vigilância Epidemiológica, concluiu-se que parte desse público da área rural deslocou-se para outros municípios da região, onde a situação com a dengue estava mais avançada. A partir dai a Vigilância precisou elaborar novas ações para atender a demanda, um desafio diante da falta de inseticida disponibilizado pelo Governo Federal para a realização do fumacê. Diante do cenário, o próprio município adquiriu, por conta própria, 10 litros do Larvicida biológico, que atua especificamente na morte das larvas de mosquitos e borrachudos. No entanto, todo material já foi utilizado.

Para dar conta de atender a demanda da área rural, os órgãos de saúde de Ajuricaba em parceria com a secretaria de Obras organizam cronograma de mutirões. O primeiro será realizado na Vila Medianeira, Linha 26, na próxima quarta-feira, dia 26 de junho. Serão recolhidos materiais como latas, lonas, vidros, colchões, carcaça de máquinas de lavar roupas, pneus e ferro, somente acondicionados.

A coordenadora Técnica do Serviço de Vigilância em Saúde de Ajuricaba lembra ainda que segue em vigor o decreto que suspende a coleta da água da chuva até o final do mês de julho, mas que se os casos positivos persistirem, há possibilidade de ampliar o período.

Fonte: RPI