Busca rápidaX


MANCHETES

Ex-prefeito de Tapera assume vaga de senador após licença de Luiz Carlos Heinze

10 de abril de 2024

O ex-prefeito de Tapera e suplente de senador pelo PP, Ireneu Orth, vai assumir, hoje à tarde, vaga no senado, visto licença do senador titular, Luiz Carlos Heinze, por quatro meses. Durante entrevista hoje pela manhã na RPI, Ireneu Orth disse que avalia alguns projetos para serem apresentados no Senado, mas não quer adiantar quais matérias, pois primeiro precisa ocorrer avaliação da assessoria jurídica.

No entanto, frisou que vai acompanhar assuntos já protocolados por Heinze, especialmente nas áreas de agricultura, saúde, infraestrutura, portos e rodovias. Ireneu Orth foi prefeito de Tapera por quatro mandados e é agricultor. Além disso, preside a Aprosoja do Rio Grande do Sul – Associação dos Produtores de Soja.

Até por ser produtor rural, uma das pautas principais que vai defender no Senado Federal é a agricultura. Aliás, destacou que atuou junto com Luiz Carlos Heinze na década de 90 na securitização de dívidas agrícolas, quando havia dificuldade no campo e para produção de alimentos. Naquela época, Orth era prefeito de Tapera e Heinze, prefeito de São Borja.

Na mesma entrevista hoje pela manhã na Progresso, Ireneu Orth esclareceu que faz parte do grupo de senadores que é oposição ao governo federal, mas nem por isso vai ser contra a projetos apresentados pelo governo Lula que sejam favoráveis à população.

E no próximo domingo, o senador, Ireneu Orth, vai conceder outra entrevista para a RPI, às 6 horas e 30 minutos, no programa Progresso Rural. Na ocasião, vai abordar a negociação de dívidas de agricultores, visto perdas, principalmente nas três últimas safras, com as estiagens.

Vai comentar que recentemente a União inclui o Rio Grande do Sul na lista de Estados que possibilita produtores estenderem por mais tempo os débitos de financiamentos e de outras contas. Para isso, a orientação é que cada agricultor procure a instituição financeira onde fez custeios, dentre outras obrigações. Inclusive existe possibilidade de negociar débitos já renegociados em anos anteriores.

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí