Busca rápidaX

Missões jesuíticas  atraem pesquisadores que analisam subsolo de Santo Ângelo

17 de maio de 2022

Uma equipe de pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) está trabalhando na identificação do subsolo para determinar o local exato da antiga Redução de Santo Ângelo Custódio. O objetivo da ação é conseguir identificar todos os motivos que levam Santo Ângelo a ser a Capital das Missões. 

De acordo com o coordenador do Projeto Missões, Álvaro Theisen, a ideia é encontrar vestígios que apontem como era a estrutura urbana da Redução. “O que temos hoje é o local da igreja, mas estamos buscando outros pontos, como as casas, as oficinas, as verdadeiras dimensões desses espaços”, define.

O scanner de solo consegue realizar a leitura de até 30 metros no subsolo e a identificação de fragmentos que permitam saber qual a estrutura existente. O trabalho está sendo feito em parceria com os pesquisadores e será realizado também, nas redução de São João Batista, em Entre-Ijuís e São Lourenço, além do centro de São Luiz Gonzaga.

Projeto Missões- O Projeto Missões tem por finalidade resgatar a história das Missões Jesuíticas-Guarani. Uma das ações é modernizar os pontos turísticos dos municípios que possuem cobertura da Associação dos Municípios das Missões (AMM) e de acordo com as pesquisas, desenvolver os planos municipais de turismo. Em Santo Ângelo, a previsão é de que investimentos sejam destinados para novas construções em locais históricos e para reformas em estruturas já conhecidas.  

Entre os projetos, está a instalação do Museu Histórico das Missões no prédio da antiga prefeitura, já aprovado pela Secretaria de Cultura, reforma do Museu Municipal Dr. José Olavo Machado, melhorias no Museu a Céu Aberto, integração do Memorial do Verzeri, do Espaço Cultural Marechal Rondon, da Coluna Prestes e a possível construção do Museu da Catedral.  

 

Fonte: Rádio Progresso
error: Conteúdo protegido!