Busca rápidaX


Realização de concurso público em Ijuí gera debate na Sessão da Câmara de Vereadores

3 de abril de 2024

Nota da redação: incorretamente informamos, inicialmente, que o vereador Bira Erthal afirmou que o processo talvez não havia sido tão “sério” e o termo utilizado foi “célere”. Atualizado em 03/04/2024, às 22h30.

Na última segunda-feira (1º), foi votado e aprovado na Sessão da Câmara de Vereadores de Ijuí o Projeto de Lei Ordinária (PLO) nº 30/2024, que autoriza a contratação temporária de profissionais para a rede pública municipal de ensino. Durante as manifestações na tribuna foi citado o concurso público de Ijuí, gerando debate entre os próprios vereadores e comentários da comunidade presente na Plenária.

O vereador Beto Noronha (PT) utilizou o espaço para relatar que, em 2021, no primeiro projeto sobre contratação emergencial que foi enviado para a Casa Legislativa, os vereadores levantaram a necessidade de realização de um concurso público municipal. “Houve uma manifestação formal dos representantes da atual administração que no ano 2023 seria realizado o concurso. Nós novamente vamos ter que aprovar um projeto de contratação emergencial porque a administração municipal não cumpre com a palavra”, declarou.

Já o vereador Bira Erthal (MDB) afirmou que o compromisso do Poder Executivo foi cumprido, contudo o concurso público está sub judice (aguardando determinação judicial). “Foi lançado o edital, teve concorrência, a primeira empresa venceu e a quarta colocada entrou na justiça pelo concurso público. Por óbvio talvez tenha sido não tão célere o processo, mas o concurso está lançado, está sub judice, está na justiça a decisão, então nós não podemos esquecer desse fato”, destacou Bira.

A reportagem da Rádio Progresso entrou em contato com o pregoeiro da Coordenadoria de Compras (Copam) de Ijuí, Rodrigo Reni Rodrigues, que informou que o contrato foi suspenso por via judicial e o Executivo já encaminhou a contestação, mas ainda não houve movimentação. Questionado se há alguma previsão para realização do concurso, o pregoeiro respondeu: “não temos, está no judiciário, vamos ter que aguardar a manifestação do judiciário para poder ‘tocar’. Estávamos com o edital praticamente pronto, com o contrato assinado com a empresa, só que como foi feita essa suspensão vamos ter que aguardar a decisão do juiz”, reiterou Rodrigo.