Busca rápidaX


MANCHETES

União pretende acelerar obras de infraestrutura, segundo disse ministro Pimenta na RPI

9 de julho de 2024
Ontem, na assinatura da ordem de serviço para começo das paralelas da BR 285, em Ijuí

O governo federal pretende acelerar obras de infraestrutura em andamento pelo Brasil, segundo disse hoje pela manhã durante entrevista na RPI o Ministro-Chefe da Secretaria Extraordinária de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul e deputado federal, Paulo Pimenta. Destacou que nesses quatro anos do governo Lula o objetivo é investir 8 bilhões de reais em obras no Rio Grande do Sul. Pimenta frisou esses temas, ao comentar a implantação das paralelas na BR 285, em Ijuí. As vias, aos lados da rodovia federal, vão ser construídas entre o aeroporto e a 10ª delegacia da Polícia Rodoviária Federal, extensão de aproximadamente 10 quilômetros. 

Ontem pela manhã, na Associação Comercial e Industrial de Ijuí, ocorreu a assinatura da ordem de serviço para começo da implantação das paralelas na Colmeia do Trabalho, com presença do ministro Pimenta. Segundo ele, a construção dessas vias integra a lista de obras prioritárias do governo federal e faz parte da Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO – portanto, está entre os projetos principais da União.

Pimenta enfatiza que, conforme a LDO, obras em execução não podem ficar fora do orçamento e obras novas não podem ser incluídas enquanto as em execução não forem concluídas. As paralelas da BR 285 estão em execução, portanto, tem prioridade para realização e destinação de recursos financeiros da bancada gaúcha. Na entrevista na Progresso nesta terça-feira, Paulo Pimenta reforçou a meta de concluir obras em andamento.

Segundo Salvador Constante, responsável pela empresa Luis Costa, do Rio Grande do Norte, que venceu a licitação, nesse primeiro momento haverá o serviço de topografia, referente a estudos de relevo e área geográfica, para, após, realizar drenagem e demais etapas. 

O custo estimado do projeto é de aproximadamente 250 milhões de reais. No orçamento federal deste ano estão garantidos 36 milhões de reais. A conclusão da obra deve ocorrer em três anos. Paulo Pimenta destacou que agora, a cada ano, vai ser necessária mobilização da bancada gaúcha no Congresso Nacional para definir o montante de dinheiro para o próximo orçamento, ou seja, em 2024 estabelecer verbas para a obra ao ano que vem. “Obra que começa é obra que termina”, frisou o ministro. No entanto, comentou sobre a fiscalização para que as paralelas da BR 285, em Ijuí, ocorram conforme o planejamento. Nesse caso, esclareceu que a região conta com um escritório do Dnit – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – existente em Cruz Alta.

Na mesma entrevista nesta manhã na Progresso, Paulo Pimenta disse que a BR 285, em outros pontos, por exemplo, de Panambi até a região das Missões pode receber terceiras pistas. Destacou que isso é possível, até por ser uma rodovia estratégica para a região e Estado, inclusive para dar mais segurança a veículos.

A implantação das paralelas começará nas imediações do trevo de entroncamento com as ERS 342 e 522, em direção ao aeroporto. O Ministro Pimenta ainda ressaltou que a cada etapa realizada das paralelas, haverá liberação para trânsito de veículos, ou seja, quando concluir um túnel ou outra fase, poderá ocorrer circulação normalmente.

Ontem, em Ijuí, além de assinar a ordem para início da construção das paralelas na BR 285, o Ministro-Chefe da Secretaria Extraordinária de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul visitou a Unijuí e o HCI.

Na universidade, Pimenta recebeu demandas, em especial o projeto voltado à implantação do curso de Medicina em Santa Rosa, em que a Unijuí busca concorrer no edital que visa a seleção de propostas para abertura de novos cursos de Medicina no Rio Grande do Sul. Um ofício foi entregue ao ministro com o pedido para que seja feito o agendamento da visita técnica do Ministério da Educação para o reconhecimento do curso de Medicina no campus de Ijuí, uma vez que, para aquelas instituições que já possuem cursos abertos, o reconhecimento conta pontos. 

Nesse ano, a Unijuí vai formar a primeira turma de médicos, visto curso de Medicina existente no campus de Ijuí. Conforme o ministro, as solicitações feitas pela Unijuí devem ser respondidas em breve. Na entrevista hoje na RPI, Pimenta observou que o curso de Medicina da universidade ijuiense mudou a realidade da instituição e o objetivo é atuar para o mais rápido possível concluir o reconhecimento. 

Já no Hospital de Clínicas de Ijuí, Paulo Pimenta conheceu a estrutura física da radioterapia, serviço que vai ser qualificado com novo equipamento viabilizado com recursos do Ministério da Saúde. Também participou da apresentação do projeto de construção do Hospital do Câncer Infantil.

Aliás, na entrevista hoje pela manhã na RPI, o ministro disse que essa semana haverá reunião, em Brasília, para atualizar o projeto do Hospital do Câncer Infantil do HCI, já com estudos para equipamentos. O Ministro entende essa nova estrutura do HCI é o grande projeto para a região.

Hoje, o presidente do HCI, Dougls Uggeri, e o diretor de Relações Institucionais, Allan Fonseca, estão em Brasília para reunião com representantes da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde, visto o Hospital do Câncer Infantil.

Ainda na entrevista nesta terça-feira na Progresso, Paulo Pimenta reforçou a possibilidade da ministra da Saúde, Nísia Trindade, visitar o Hospital de Clínicas de Ijuí, principalmente para fortalecer o setor de radioterapia e em razão do Hospital do Câncer Infantil, cuja obra está orçada em 30 milhões de reais. Serão 20 leitos de internação para pacientes de zero a 18 anos, 10 leitos de UTI pediátrica, uma unidade de infusão (para quimioterapia) e um andar inteiro para as famílias.

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí