Busca rápidaX


Municípios da Amuplam registram mais de R$ 55 milhões em prejuízos com as chuvas

13 de maio de 2024

Os municípios da Amuplam tiveram milhões de reais em prejuízos causados pelas chuvas do começo de maio. Ao menos cinco decretaram situação de emergência e o município de Jóia decretou estado de calamidade pública, em decorrência dos estragos, avaliados em cerca de R$ 30 milhões. Ao todo, na região mais de R$ 55 milhões foram registrados em prejuízo.

Os maiores danos foram nas estradas vicinais, com pontes, pontilhões, bueiros e quilômetros de estradas rurais danificadas, gerando um grande movimento de recuperação, que já está acontecendo. Nesse trabalho de recuperação, destaque para a união regional, como acontece entre os municípios de Ijuí e Ajuricaba, que firmaram um acordo para reconstruir em conjunto uma ponte do interior que foi levada pelas águas entre as duas cidades.

Outros estragos expressivos foram na agricultura, em lavouras de culturas como milho, soja, além da produção leiteira, hortifrutigranjeiros e demais ramos agrícolas. Em menor escala, houve alguns estragos em unidades habitacionais. Não foram registrados desalojados, ou seja, pessoas que perderam completamente suas casas, na região.

Confira abaixo o levantamento dos estragos causados pelas chuvas

Ajuricaba – Situação de emergência

Prejuízo total – R$ 8 milhões

Estradas – R$ 1,5 milhão

Pontes, pontilhões, bueiros e outros – R$ 400 mil

Prejuízos habitacionais e com o solo – R$ 5 milhões

Bacia leiteira – R$ 400 mil

Hortifrutigranjeiros – R$ 100 mil

Psicultura – R$ 100 mil

Lavoura de milho – R$ 500 mil

Augusto Pestana – situação de emergência

Prejuízo total – R$ 440 mil

Residências – R$ 50 mil

Pontes e bueiros – R$ 9,2 mil

Estradas interior – R$ 351 mil

Bozano – Situação de emergência

Danos em estradas, pontes, pontilhões, bueiros, entre outros estragos. Prejuízo avaliado em R$ 2,7 milhões.

Condor – Situação de emergência

Danos com extensas áreas alagadas, o que causou erosão em lavouras, inundações, alagamentos, enxurradas, prejuízos na malha rodoviária rural, e instabilidade nas redes de telefonia e Internet. Pontes e pontilhões do município também sofreram danos consideráveis, prejudicando a mobilidade, acesso a comunidades locais e o transporte escolar.

Jóia – Calamidade pública

Estradas, pontes e bueiros danificados e comprometidos em todas as comunidades; granizo e vento forte; perda de animais, prejuízos na produção leiteira e na agricultura. Famílias chegaram a ficar isoladas e algumas desabrigadas com danos nas residências. Prejuízo avaliado em R$ 30 milhões.

Ijuí – danos pontuais sem decretação de situação de emergência

Em Ijuí, os acumulados de chuva foram entre 350 a 400m de chuvas, equivalente a quase três vezes a média mensal para o mês de maio, gerando problemas pontuais. Na cidade, o local mais afetado foi a rua Genni Cony, no bairro Mundstock. Segundo análise técnica preliminar do Núcleo de Engenharia do Município, houve uma possível falha estrutural no canal induzida por condições ambientais extremas, acarretando em um rompimento parcial do canal.

Nova Ramada – Situação de emergência

Estragos em pontes, bueiros, pontilhões e em quilômetros de estradas vicinais. Município chegou a ficar por algumas horas isolado. Prejuízos na agricultura também foram registrados. Danos estimados em cerca de R$ 10 milhões.

Pejuçara – danos sem decretação de situação de emergência

Prejuízo total em várias áreas avaliado R$ 5,1 milhões.

Fonte: Rádio Progresso de Ijuí e Amuplam